7.7.11

De volta ao Campo


Voltei ao Campo de Santana, dia desses, para conversar com o presidente da Fundação Parques e Jardins, David Lessa. A Fundação fica numa casa instalada dentro do Campo, tem vista para o verde e é um ponto de observação ideal para ver pivetes assaltando transeuntes e moradores de rua tomando banho no lago. Desde a semana passada, passou a ser também um bom ponto para se ver a PM fazendo a ronda em garbosos cavalos, e duplas de guardas municipais em bicicleta. Já é um com começo.

Lessa, que está no cargo há cerca de dois meses, não é estranho à FPJ: era seu diretor de arborização antes de assumir a presidência. Claro que não perdi a oportunidade de perguntar-lhe por que as podas das árvores do Rio são praticamente assassinatos. Sei que há tempos elas são cometidas pela Comlurb, mas continuo sem entender o que a Companhia de Limpeza Urbana tem a ver com árvores.

Lessa me explicou que a transferência de função da FPJ para a Comlurb aconteceu por uma complicada questão de falta e de excesso de contingente, e que ele mesmo, em tese, não é contra. Apenas acha que, já que a Comlurb poda as árvores, deve aprender a fazê-lo. Para isso, criou workshops (com o perdão da palavra) em que funcionários da FPJ ensinam, aos colegas da Comlurb, como proceder a podas menos calamitosas.

* * *

A questão da viabilização do Campo de Santana como espaço público seguro é coisa mais complicada. A limpeza, a eventual poda das árvores e o corte de grama são atribuições da Comlurb. A caça aos traficantes é com a Polícia Civil. A vigilância contínua cabe à Polícia Militar e à Guarda Municipal. A remoção dos moradores de rua fica por conta da Secretaria de Assistência Social. Os gatos abandonados deveriam ser cuidados pela Secretaria de Proteção e Defesa dos Animais, a Sepda, que tem, inclusive, um posto dentro do próprio parque. Acrescente-se a tudo isso um detalhe pequeno, mas fundamental: o Campo de Santana é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, o Inepac, a quem deve ser dirigida toda e qualquer proposta de alteração, por mínima que seja.

É por culpa do Inepac que os mais de 400 gatos lá existentes não têm onde se abrigar das chuvas e do frio. O Inepac acredita que, se não pensar nos gatos, eles deixarão de existir, como num passe de mágica; assim, não permite que as casinhas construídas para eles sejam espalhadas ao longo dos muros. As casinhas são verdes, pequenas e não incomodam ninguém, sequer visualmente, mas como Glaziou não previu casinhas de gato em meados do século XIX, quando projetou o Campo, o Inepac deu o contra, assim como deu o contra a um sistema alternativo de manilhas sobrepostas, nas quais os bichinhos também encontrariam abrigo.

Aqui se poderia começar um debate sobre o instituto do tombamento e suas virtudes e defeitos sob a ótica da gestão urbana, mas vou deixar isso para os especialistas na matéria – dos quais, imagino, o Inepac deva estar cheio. Lembro apenas que os pobres gatos não foram para o Campo de Santana de moto próprio, não têm como sair de lá sem que alguém tome providências, e que, até alguém tomar providências, ainda vai chover muito e fazer muito frio por lá.

* * *

"A situação do Campo de Santana se deteriorou muito ao longo dos últimos cinco anos”, diz David Lessa. “Em 2006 a Secretaria de Segurança Pública foi para a Central do Brasil. Com o aumento da segurança na área, toda a população que vive na rua ou da rua, e que então se juntava na Praça Procópio Ferreira, atravessou a avenida e veio para cá. Não estou falando apenas de prostitutas ou de pivetes, mas também de gente como a que vende balas para os motoristas no sinal. Essas pessoas compram no atacado, e depois reembalam tudo em pacotes menores. Para onde vão as embalagens descartadas? No caso do Campo de Santana, vão direto para o lago, como se pode ver a qualquer momento, e como mostrou a foto publicada pelo Globo semana passada. Há uma turma grande de embaladores logo ao lado da entrada da Presidente Vargas. Os guardas que temos nos portões são insuficientes para contê-los e nem estão preparados para isso. Às vezes até conseguem que saiam de lá, mas não adianta nada, porque eles apenas vão para outro canto do campo, e voltam logo depois. Com a população de rua não é muito diferente. Essa suja o parque, quebra os bancos para fazer fogueira, toma banho nos lagos... Há poucos dias a Secretaria de Assistência Social mandou uns agentes para cá. Saíram daqui dois ônibus cheios de pessoas. Pois a maioria já está de volta.”

* * *

David Lessa acredita que uma solução permanente para o Campo de Santana passa pela criação de um comitê gestor, com representantes de todos os envolvidos com o seu cuidado. Assim se poderiam articular ações conjuntas e eficientes, e assim, quem sabe, o carioca de bem poderia ganhar o seu lindo jardim de volta.

* * *

O gatinho da foto cismou de vir comigo da outra vez em que fui ao Campo. Fez bem. Chegou em casa com uma infecção séria e 41 graus de febre. Teria morrido em um dia ou dois. Hoje está curado e cresce a olhos vistos. Chama-se Fonseca, mas atende também por Marechal.


(O Globo, Segundo Caderno, 7.7.2011)

42 comentários:

Heliana disse...

Corinha, que bom você pra ser a porta-voz na defesa dos gatinhos do Rio!!

Anônimo disse...

Cora, esse seu Fonseca é o gato meis fofo que já vi, e conhecendo sua história ele fica ainda mais encantador. Pena essa burrocracia toda pra cuidar do campo de santana, tudo pra dificultar quase nada para resolver,
abraço,
vera

moni kr disse...

Parecia que estava ouvindo o próprio Pilatos nesse discurso aqui.O que ja´foi feito entao para se criar esse comitê?

nelson disse...

cora
solução do poder público para empurrar o problema com a barriga:

1. criar uma comissão, ou comitê, ou grupo de trabalho...

2. marcar a primeira reunião para daqui a dois meses

3. na primeira reunião serão definidas, ou não, as atribuições de cada ente participante, e definido o jeton. marcada a segunda reunião

4. na segunda reunião um (ou mais) ente participante não vai comparecer...

e la nave va

[]'s

Hilaine Yaccoub disse...

O Marechal mais parece o Frajola, nasceu com o bumbum pra lua! maravilha!

Cora, em contrapartida a esse descaso, os gatos que vivem no Piranhão (predio anexo a prefeitura do Rio) me parecem mto bem tratados, ontem estive por la e contei 24 felinos, gordos, soltos e felizes. Eles tem casinhas verdes e nao recebem maus tratos, sao dóceis e carismaticos, dá gosto de ver.
Tmbém sou uma gateira e aprovaria uma campanha.
bjos
Hilaine
hilaine@gmail.com

Rosely - SOS FELINOS disse...

é Cora.. os gatos são sempre colocados de lado em nossa sociedade... fazem com humanos, imagina os pobres animais.

parabéns pelo nosso baby...
bjn no Toro...

dia 9 de julho na Praça Afonso Pena, Tijuca, de 09 até 14h vai ter feira de alguns gatins nossos filhotes...

bj rosely

Rosely - SOS FELINOS disse...

nosso Toro amigo felino querido...

Claudia disse...

E mais uma vez agradeço sua luta para ajudar o Campo de Santana.
Não sou protetora, mas me alistei como "Amiga do Campo de Santana" para ajudar na luta dos protetores que batalham por lá para alimentar, cuidar e castrar os gatinhos. Mas a sensação é de que estamos enxugando gelo, porque o abandono de gatos no parque continua e o descaso das autoridades também.
Muito bonitas as palavras do Sr. Lessa, mas e na prática, o que será feito? Com este inverno excepcionalmente frio, os gatinhos não podem esperar nem mais um dia por abrigo e cuidados. Como você mesma falou sobre o Fonseca, ele morreria em um ou dois dias e é o que acontece com muitos por lá, só não acontece mais porque as protetoras estão recolhendo os que estão em pior estado e cuidando deles com a ajuda de veterinários maravilhosos que disponibilizam seu tempo para cuidar deles de graça ou a preço de custo.
Falei demais,eu sei, e vamos torcer para que tudo melhore! Mais uma vez, não desista desta luta, fique conosco e com os gatinhos :)

claudiorubio disse...

menina, impressiona ver como as descrições da situação do campo de Santana que você tem feito demonstram incompetência generalizada e a completa falta de articulação de todos os envolvidos - mesmo os de boa vontade.

todos parecem conformar-se com seus graus de incapacidade e elevá-los conjuntamente à categoria máxima do descaso a cada nova tentativa desorientada que empreendem.

nenhum dos envolvidos segue a uma política pública comum, nenhum dos envolvidos empreende uma só ação no sentido de estabelecer uma política pública real, que vá além da ação assistencialista imediata e inócua.

agem como estivessem num filme de Os Três Patetas bancado pelo dinheiro público, vestidos todos em uniformes surrados, como mendigos profissionais, indignos dos cargos que ocupam, todos, até mesmo o de maior boa vontade.

porque não basta boa vontade, num caso desses. é como apagar incêndio a cusparadas: um gesto de descaso, de descolamento completo da realidade.

o mais impressionante em suas crônicas sobre o campo de Santana, Cora, é que são lentes apontadas sobre um pequeno território, num dado momento, mas que, se apontados para o mesmo território a qualquer novo momento, ou mesmo apontados para qualquer outro território sob a mesma gestão, revelam o mesmo descaso, a mesma falta de políticas públicas, a mesma incompetência nas ações desencontradas, a mesma desonra na ocupação dos cargos públicos em ações igualmente medíocres, descontínuas, vergonhosas, criminosas.

o mesmo trato do político, do servidor, do cidadão, de todas as entidades com os problemas que não surgiram espontânea, naturalmente, por força da vontade de Deus, mas que foram todos, todos os problemas, todos causados e agravados pela contínua sucessão de ações e descasos desses mesmos e outros tantos políticos, servidores, cidadãos e entidades ao longo de muito tempo.

ah, que nojo!

LEO ANDRADE disse...

Sou a favor da privatização. Privatize o parque, cobre entrada e estará tudo resolvido.

Sônia Schmidt disse...

Sinceramente, na situação em que o local está, o que poderia serf eito é "fechar para balanço". Ou seja, fechar os portões para manutenção e só permitir a entrada de pessoas (particulares)que entrem lá para cuidar do local e dos animais, providenciando uma contanção no crescimento da colônia de gatos.

Em dois tempos a situação melhora.

Carlos Emerson Jr. disse...

Com toda essa gente envolvida na administração do Campo de Santana, um dando cabeçada no outro e dependendo de leis municipais, estaduais e federais, só vejo uma solução, simples e profundamente antipática: cobrar ingressos!

Aliás, é o que fazem no Jardim Botânico.

Mariah Vask disse...

Ainda verei o Campo de Santana um símbolo de respeito aos animais! Ajudo pessoas que ralam duro para isso acontecer! Confio nelas e confio em você, Cora! :) Obrigada!!!!

Marise disse...

Que tristeza, Cora, tanta gente "irresponsável" pelo parque e nada é feito.
Dá um grande desgosto de nosso país, ministro desvia fortuna durante 7 anos, é pego, pede demissão e está tudo certo, volta pro senado e ainda vai nidicar o sucessor. NOJO! NOJO! NOJO! Como esse país vai virar uma nação com essa qualidade de gente dando exemplo!
E os pobres gatos pagam o pato! ;-(

Rafael Cazes disse...

Querida Cora, mais uma vez obrigado por tudo que tem feito e que essas mudanças sejam apenas o início de muitas.
Um grande abraço,
Rafael Cazes

Maria Gonçalves disse...

Obrigada mais uma vez, Cora!
Mas esse negócio de jogar a responsabilidade da má administração pública de uns para os outros, é para continuar como está e cada um manter seu cargo e salário.
Se a Fundação Parques e Jardins não consegue administrar o parque onde se encontra a sua própria sede, e transfere a função de podas para Conlurb, pergunto: para que ela existe?

Maria Gonçalves disse...

Ah! O Fonseca, que também atende por Marechal está lindo!
Pena que os quatrocentos e tantos que lá ficaram sofrendo não possam ter nenhum abriguinho para se protegerem da chuva e no frio.

Heliana disse...

Faço côro aos demais;

NOJO, NOJO, NOJO!!!!!

E realmente a solução é cobrar entrada como o Jardim Botânico.

Denise disse...

Qual a diferença do Campo de Santana para a Praça Paris na Glória, que é um exemplo de limpeza, beleza e segurança ?

O Marechal é lindo !

moni kr disse...

Claudio Rúbio,vc deu de dez com as palavras!Senti a msma coisa que vc.

Marcus Borelli disse...

A solução é no dia 3 de outubro de 2012 nós darmos um pé no traseiro deste pústula e incompetente dudu paes. Espero que haja um candidato melhor. Mas no momento devemos é agradecer a Cora por suas colunas e também a todos nós que nos sensibilizamos com nossos irmãos menores, não só os gatos mas também outros animais não humanos.

Natalia Ribeiro disse...

Suas colunas são sempre ótimas Cora, e como uma das protetoras do Campo só tenho que agradecer, assim como as demais, por você ter abraçado o Campo do Santana conosco. O Fonseca/Marechal está lindissímo. Tenho que lhe dar os parabéns por ter pego ele, salvou uma vidinha e ganhou um presente né. Beijos.

Tom Taborda disse...

Coríssima: crônica espetacular!

Pobre Rio (pobre Brasil), nas mãos de gerações de administradores incompetentes e nenhum deles responsável por nada (a culpa é sempre do outro), onde ministérios, secretarias, diretorias e feudos se sobrepõem para a suprema glória do ocupante do cargo mas "que tem as mãos atadas, pois _____ é atribuição de _______")

Aaaaaaaargh!

Falando em gatos: Enquanto isso, nos perfeitos Parques Temáticos da Disney, Feral Cats são 'funcionários' cuidadosamente tratados e mantidos, liberados à noite para manter os parques livres de ratos

http://www.boingboing.net/2011/07/06/secrets-of-disneylan.html

Lilly disse...

Já que tudo está muito ruim e abandonado, poderíamos começar por "tombar" (literalmente - ou "engessar") 90% dos nossos políticos. Para nós seria uma boa atitude, já que temos capacidade para fazer muito melhor do que essa corja gananciosa que vive às custas de nos explorar.

Alguém poderia explicar, para onde vão os impostos escorchantes que pagamos a cada minuto sobre todas as coisas? Hem?

Por que não fazemos um abaixo-assinado para nos dar um pouco mais de prazer para vivermos neste país tão abandonado?

Já passou do tempo, pois o processo teve início em 1500! E perdurará ad eternum se cruzarmos os braços.

Marcela disse...

Ih, meu avô materno tinha este sobrenome Fonseca. Este aí deve ser parente meu!
Ei Cora, o Fonseca já está tão diferente que deve estar recebendo tratamento qualidade similar ao "Mr M does it all for Coraline". Fomos uma loja de pets e o Mr M resolveu comprar uma latinha de comida soft pra Coraline. Tinham umas em promoção por 27 cents e eu fui cantando algumas, pois gosto muitíssimo desta marca "sale". Mas nããão! Pra Coraline, Mr. M queria umas orgânicas e que tivessem sardinha (vai ver que ele ainda queria que fossem sardinhas portuguesas). Passamos horas procurando latinhas gourmet pra Coraline e ele escolheu umas de $1.50 pra ela! Uau! Isto é que é amor!

Katia Chedid disse...

Obrigada Cora por não esqueder deste Campo que já foi riscado do mapa da cidade, há muitos e muitos anos. Só não mais, por conta dos cabides de empregos sem os quais ,tantos órgãos não existiriam. E quantos mais melhor, pois são muitos os amigos, os conhecidos , o primo da cunhada ou seja todo mundo querendo uma fatia desse bolo infinito chamado administração pública. Esta fundação ignora o que é um parque e nunca viu um jardim e não se envergonha de ter sua sede naquele caos ? Alguém lá sabe ao menos, como regar um vasinho de cactus ? Duvido ! Só percebemos que existem tantos funcionários pela quantidade de carros estacionados lá, mas o que fazem em relação a trabalhar , nem Deus sabe ! Privatizar o Campo e cobrar ingresso seria interessante para vê-lo cuidado e talvez seguro, mas em relação aos animais, seu extermínio seria certo !
Espalhar os abrigos no Campo não pode , não está no projeto original, mas pode ter valão , lixão, tudo quebrado, mato pra todo lado ,árvores seculares decepadas , imundície, tudo isso, com certeza pode, pois é só o que vemos sempre !
No meio dos bla-bla-blás de sempre desses secretários competentíssimos e empenhadíssimos, com seus enfadonhos eu acho que, eu acredito que , os infinitos poderia, as comissões, as reuniões, os conselhos de coisa nenhuma,ao passarmos pela peneira seus discursos, vai sair o nada absoluto ! O que entra e sai governo e prefeitura , o nada ! Nada é animal, que para as "autoridades" é igual a zero pois não fala, não vota , não tem e-mail e muito menos jatinho particular !
E assim nós que amamos e sofremos pelos animais abandonados, continuaremos qual legião de miseráveis, implorando por eles , lutando por salvá-los, gastando o que temos ou não, na tentativa de dar-lhes um mínimo.Continuaremos a ser tristes testemunhas do descaso e da omissão. Seremos obrigados a conviver com os Pilatos que se sucedem ,cheios de impáfia, detentores do poder de dizer NÃO , lavar as mãos e dar as costas !
Resta-nos o aperto no peito, a indignação, a terrível impotência, frente a tanto sofrimento sem ao menos termos o direito de perguntar frente a frente, sem que sejamos presos ou processados: Os Srs sabem quem paga seus salários ????

Katia Chedid disse...

Parabéns Cora por salvar o Marechal Fonseca ! Menos um dos mais de 450 estimados que estarão morrendo de frio e fome nesta noite e em tantas mais deste rigoroso inverno !
Vítimas da maldade, da indiferença, do desamor a seres tão absurdamente indefesos !
Suas fotos, mortos e esquálidos, deveriam ficar na mesa , nas paredes, nas telas dos computadores , nos impressos de papéis timbrados ,de cada secretário, de cada funcionário , de cada um que ocupe qq cargo relativo ao fato.
Na foto a legenda : EU , POR NÃO FAZER MINHA PARTE , MEU POSSÍVEL ,POR DESUMANIDADE , POR INSENSIBILIDADE , MATEI ESSE ANIMAL !

Maris disse...

Que bom, que bom ter vc pra falar por nós, "gateiras" que ninguém quer receber ou escutar,rsrs... levei uma de minhas gatinhas em abril desse ano pra castrar lá e vi uma barbaridade que fizeram com uma gata lá no Campo, que tinha algumas vísceras saindo pelo ânus, foi de chorar...o pessoal do centro de esterelização não tinha casinha_transporte para colocá_la na Kombi que ia pro centro cirúrgico em Guaratiba, então doei um dos meus. Um absurdo ninguém fazer nada, nunca! Obrigada por vc existir!

Heliane Fonseca disse...

Prezada Cora,

Aplaudo seu combate sobre a situação deplorável do Campo de Santana e como uma Fonseca, não descendente do marechal e também amante de felinos, sinto-me homenageada com o nome dado a este mimoso gatinho.
Heliane

Repositório disse...

Fonseca sortudo! Pela mamãe lutadora e por sua casinha!

Cássia disse...

Amei a foto do Fonseca, o Marechal!
Ilustra tão lindamente a crônica e desperta...
Se você adotou um os demais também podem ser adotados.
Afinal, a esperança é a última que morre.
:)

Tina Müller disse...

O Fonseca é lindo demais!! :)

Marcus Borelli disse...

Só para relembrar, o email do prefeito é edupaes@uol.com.br.

Layla disse...

Sua crônica, como sempre é ótima. Lava a alma de todos os protetores dos gatos e de todos os animais abandonados por aí... dos abandonos dos parques, em especial do Campo de Santana que deveria ser um lugar onde as pessoas deveriam ter o direito de passear livremente sem se sentirem ameaçadas pela má frequência do lugar.
Que bom que você escreveu tudo isso.

Heliana disse...

MARCELA, Mr.M tem motivo pra isso, ela também é apaixonada por ele!!

Anônimo disse...

Ajude o Nino (foi espancado e perdeu o movimento das patas dianteiras)

http://www.facebook.com/pages/Ajude-o-Nino/227864333910268

Marcia Amaral disse...

Marcela comcordo com a Heliana!!! Mr M e apaixonado por Coraline e vice versa.......

Valderez disse...

Fonseca sortudo!!!

julia disse...

Puxa, que susto! "De volta ao Campo" e uma foto do Fonseca! Achei por um instante que ele tinha sido devolvido! Meu coração parou!

Jane disse...

Ou seja, esse senhor da Fundação lavou as mãos...
Claro que tem solução! Primeiro, feche o portão da Presidente Vargas e deixe apenas um aberto e super vigiado. O parque não deve continuar como passagem entre ruas.
E não seria demais cobrar R$ 1,00 para entrar. Como Jardim Histórico (protegido pela Carta de Florença) pode ser considerado um "museu ao ar livre" e justificaria a cobrança. Isso bastaria para afugentar desocupados (nada demais, o Jardim Botanico também cobra). E por favor, tem ter uso. Um Café, pequena livraria, palco ao ar livre para pequenos concertos, etc, trazem público, visitantes. Somente o uso preserva e afasta as tais "classes perigosas".

No mais, casinhas para gatos não descaracterizam o patrimônio, são artefatos leves e provisórios.

Anônimo disse...

A sra foi pertinente, clara e objetiva. Como observações óbvias a qq cidadão passam despercebidas pelos seres q, sabe lá como, conquistam cargos públicos via indicações? Tem algo mt errado e podre na politica carioca. O Campo de Santana é patrimônio. Bichos, crianças, idosos e sem teto merecem respeito. Cidade onde assassinam Juans e somem Patricias, com a benção do Estado, não podem mesmo entender sobre bichos e arvores. Votemos com dignidade! E temos q nos unir para agir e fazer qq diferença. Esqueçam o Estado: só quer o nosso fracasso, importe ou morte.

Maya disse...

Hoje, domingo, 10 de julho, tive o desprazer de ir ao Campo de Santana...fui junto com outros voluntários, alimentar os gatos, patos e cotias invisíveis que estavam com muita fome. Cheguei às 10hs e saí às 15hs, rodamos o Campo inteiro e não fomos capazes de avistar qualquer PM ou guarda municipal, entretanto conseguimos sentir o cheiro de maconha em quase todo o percurso, assistir à DIVERSAS pessoas fumando maconha e crack sem o menor constrangimento, além dos assédios contra as mulheres. Um total clima de insegurança que tolham nosso direito de ir e vir.